Meu Pedacinho de Chão estreia, com surpresas, em abril

Wal Ribeiro
Meu Pedacinho de Chão estreia, com surpresas, em abril

Meu Pedacinho de chão conta com grande elenco
Foto: TV Globo/Divulgação

O novelista Benedito Ruy Barbosa, autor de sucessos como Cabocla (1979 e 2004), Renascer (1993) e O Rei do Gado (1996), está de volta. Ele assina o próximo folhetim global das 6, que substituirá Joia Rara a partir de 7 de abril.
 
Trata-se de um remake de sua própria obra Meu Pedacinho de Chão (1971), que abordou os problemas do homem do campo e encantou o público ao mostrar as travessuras da menina Pituca.
"Agora está tudo bem diferente, até porque as questões sociais mudaram. Os personagens foram modificados, apesar de alguns continuarem com o mesmo nome", conta Edilene Barbosa, que escreve o remake em parceria com o pai e com o filho, Marcos Barbosa, neto de Benedito.
"Escrever em família é muito bom. Como somos muito unidos não existem brigas e chegamos mais rapidamente a um entendimento", conta Edilene, cuja filha, Paula Barbosa, também participa da trama, interpretando a personagem Gina.
 
Segundo Edilene, o pai começou a escrever a trama, que terá 120 capítulos, em junho passado e em dezembro ela já estava pronta.
 
Na história, Juliana, vivida por Bruna Linzmeyer, chega à fictícia cidadezinha de Vila de Santa Fé a fim de lecionar para crianças, uma delas a espevitada Pituca. A professora acaba sendo a principal inimiga do coronel Epaminondas (Osmar Prado), que domina a cidade e a mulher Madame Epa (Juliana Paes). A bela morena, aliás, tem um caso com Pedro Galvão (Rodrigo Lombardi). Juliana, por sua vez, viverá um triângulo amoroso com o filho do coronel, Fernando (Johnny Massaro) e o peão Zelão (Irandhir Santos). Estão escalados ainda Antonio Fagundes, e seu filho Bruno Fagundes, Emiliano Queiroz, Flávio Bauraqui, Ricardo Blat e a modelo Cintia Dicker, entre outros.
As cenas iniciais da trama já começaram a ser gravadas no início de fevereiro, mas o diretor, Luiz Fernando Carvalho, vem mantendo as tomadas em segredo. É esperar para conferir!

Vote nas finalistas do 21º Prêmio CLAUDIA

Políticas Públicas

  • Heloísa Helena de Oliveira
    Heloísa Helena de Oliveira

    Monitora e argumenta com políticos para alterar projetos de lei que não favorecem os jovens do Brasil 

  • Maria Clara de Sena
    Maria Clara de Sena

    Única transexual no mundo no cargo de Mecanismo de Prevenção e Combate à Tortura, luta pelos direitos LGBTs 

  • Paula Johns
    Paula Johns

    Fundadora da Aliança de Controle do Tabagismo + Saúde, batalha para controlar o tabagismo  

Negócios

  • Cristina Junqueira
    Cristina Junqueira

    Criou o Nubank, cartão de crédito que pode ser administrado pelo celular, dispensa o banco e não tem anuidade

  • Mariana Alves Madureira
    Mariana Alves Madureira

    Trabalha para impulsionar o desenvolvimento econômico de lugares pobres estimulando o potencial turístico

  • Carla Renata Sarni
    Carla Renata Sarni

    Criou uma rede de consultórios que oferece tratamento odontológico a um custo acessível na periferia

Trabalho Social

  • Marineide Silva
    Marineide Silva

    Criou uma ONG para ensinar corrida para mais de 500 crianças e adultos no bairro mais violento de São Paulo

  • Brigitte Louchez
    Brigitte Louchez

    Está à frente de uma ONG que luta para combater a exploração sexual de crianças e jovens em Fortaleza, no Ceará

  • Mônica Azzariti
    Mônica Azzariti

    A fonoaudióloga prepara policiais para que resolvam ocorrências nas favelas sem violência, evitando conflitos

Cultura

  • Anna Muylaert
    Anna Muylaert

    Diretora do filme Que Horas Ela Volta?, aqueceu a discussão sobre a exploração do trabalho doméstico no Brasil

  • Mari Corrêa
    Mari Corrêa

    Realiza oficinas de cinema em aldeias do Xingu e ensina os índios a registrar sua cultura, história e hábitos

  • Panmela Castro
    Panmela Castro

    Imprime sua arte em murais e performances e oferece oficinas para prevenir a violência contra as mulheres 

Recomendamos para você


As últimas do M